sábado, 22 de março de 2014

Das heranças da Golden Dawn: The Golden Dawn Tarot, de Robert Wang.


O Tarô da Golden Dawn é um baralho desenvolvido com o simbolismo da Ordem da Aurora Dourada, conforme o Liber Tum compilado das referências sobre os Arcanos utilizadas pela Ordem em seus rituais e meditações, que veio a influenciar a produção de Tarôs em todo o século XX. Conforme sabemos, as cartas de Tarô, para efeito de meditação, são mais que imagens. São portas.
Caso não leia em inglês, a versão em português do Liber T está disponível no livro Aurora Dourada, de Israel Regardie, publicado pela Madras Editora.
Embora a base dessas portas para outros níveis de consciência fosse o simbolismo adotado pela Ordem, a ornamentação era pessoal. Os membros eram convidados a inspirarem-se nas imagens desenvolvidas e atributos correlacionados para criarem seus próprios baralhos, compilando os símbolos. Dessa forma, o estilo e a técnica de cada autor mesclava-se à ideia singular que norteava a criação, gerando uma miríade de possibilidades de voltar à mesma Fonte. Podemos fazer um teste, observando alguns baralhos que partilham dessa mesma origem textual: Thoth, Rider, Hermetic, Iniciático, Liber T, e, com algumas ressalvas e adaptações, o Tarô das BruxasO baralho original da Golden Dawn, ao que parece, foi desenvolvido por MacGregor Matthers e pintado por sua esposa, mas tais cartas nunca foram publicadas e, sendo emprestadas aos membros para serem copiadas no processo de criação, em algum momento desapareceram, para o desespero dos colecionadores e amantes da arte.
O livro foi escrito e o baralho ilustrado por Robert Wang, sob orientação de Israel Regardie – o mesmo que citamos no texto sobre o Thoth Tarot e que foi homenageado no nove de ouros desse mesmo baralho, cuja efígie está representada nos glifos astrológicos de Marte e Mercúrio.
Este é um trabalho síntese. Publicado pela primeira vez em 1977, este é, portanto, o terceiro na cronologia dos baralhos desenvolvidos por membros da Ordem que obtiveram sucesso, estando atrás do Rider (1909) e do Thoth (1943). Suas imagens são delicadas e pueris, estando entre os traços marcantes de Pamela Smith e o rebuscado traçado tridimensional de Fireda Harris. A ideia aqui é, traduzindo em imagens, auxiliar o praticante a entender os ensinamentos da Ordem (aquilo que Waite buscou velar e Crowley revelar).
Os Arcanos Maiores respeitam a paleta de cores oferecida no 777 de Aleister Crowley (outro livro ainda não traduzido, infelizmente. O mais próximo que cheguei dessa tabela, em português, foram os livros da Ellen Cannon Reed: Tarô das Bruxas, editado pela Pensamento Cultrix, e o recomendadíssimo Cabala das Feiticeiras, editado pela Bertrand Brasil.) Como instigador da curiosidade, sugiro que vejam o uso do amarelo nos baralhos supracitados, em especial no nosso objeto de estudo de hoje, no primeiro Arcano: O Mago.

Waite, Crowley, Wang

A Corte é formada por Rei, que aqui é representado imageticamente como o Cavaleiro - Algo que Crowley eximiu para manter o baralho matrifocal - Rainha, Príncipe e Princesa. Como os atributos são os mesmos, não serão de todo estranhos para alguém que estude o Thoth Tarot. 

Thoth, Golden Dawn, Initiatory Golden Dawn

As cartas numeradas, por outro lado, possuem maior similitude com o Tarô de Marselha: uma ou mais mãos portam os atributos de cada naipe, inter-relacionando as quantidades em padrões geométricos - o que o aproxima do Marselha (e dos primeiros estudos do MacGregor Matthers)



Para conhecer mais sobre o pensamento de Robert Wang sobre este Tarô em especial, existe um livro de 158 páginas escrito por ele, sem tradução, e sobre o Tarô Cabalístico, em geral, é fundamental ler seu livro, homônimo. Uma das melhores sínteses em português sobre o assunto, serve de referência tanto para quem utilizar este baralho aqui, como para quem usar os demais listados. Para baixar, aqui.


Por que comprar esse baralho? Porque ele vai expandir sua visão do que é Tarô Cabalístico. Você entenderá o que são, inclusive, os atributos agregados aos baralhos clássicos que permitiram a elaboração de tantos baralhos transculturais. Verá seu baralho de coração com outros olhos, sobretudo se for o Rider Waite ou o Thoth.
Talvez, nele, encontre o seu baralho de coração. 

Deseja adquirir baralhos USGames? Coelestium.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando um monólogo se torna diálogo...