sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Amor a toda prova (Unconditional Love): um filme para recordar.

“Por amor, as pessoas são capazes de fazer qualquer coisa”.

Um filme absolutamente pueril e encantador. Grace acaba de realizar um sonho: conseguiu um dos cinco ingressos para assistir a um show do seu amado cantor, Victor Fox, cujas lullabies associadas a seu jeito envolvente de interpretá-las, o fizeram ídolo das mulheres do mundo todo.

E nesse momento, ainda com o telefone nas mãos, seu marido pede o divórcio. Primeira queda da Torre.
Ela consegue um ingresso. Mas Victor Fox é assassinado, com uma flechada no coração, pelo Assassino do Arco e Flecha. Enquanto ela e as outras cinco aguardavam, ansiosas, uma chegada que nunca aconteceria. Morte, quebrando ilusões e deixando desalento.
Grace vai à Inglaterra para o funeral de seu grande ídolo. Lá, descobre que seu ídolo era gay e tinha um affair com seu secretário particular, Dirk Simpson – que, curiosamente, é chamado de “valet”.
Ainda que ferida, mas já se acostumando com a idéia de que nada é o que parece ser, Grace encara a fúria de Dirk, e com ele descobre a intimidade do seu ídolo, e um novo amigo. Novamente a Torre se faz presente… Mas agora sucedida pela Estrela.


E ambos voltam para a América. Para descobrir o assassino… e se perdoarem por demorarem tanto para se valorizarem como deveriam – tendo vivido tanto tempo à sombra de seus consortes.
Existem cenas que não dá pra comentar sem retirar a graça da surpresa. Mas esse filme é uma sucessão de quedas da Torre: cai o casamento, cai a máscara de “beleza máscula que faz sucesso nas telenovelas”[/cassetaeplaneta] que o Victor Fox portava, cai a surpresa pela homossexualidade revelada, cai o medo da homofobia que Dirk nutria, cai o medo de cantar, gosto abandonado por Gracie em função do casamento.


Nunca é tarde para retomar seus sonhos.

Veja o trailer, ouça a trilha sonora (Carpenters é tudo de bom, sempre...). Vale a pena.
É um filminho água com açúcar, e se uso no diminutivo não é para diminuir o filme, mas porque no diminutivo até doce fica mais doce. Um filme para terminar de assistir e correr para ouvir um ou dois CDs do Frank Sinatra, ou Roberto Carlos, ou os dois, ou mais alguém… Maravilhoso.
E, principalmente, é uma forma suave de despertar para a carta da Torre. As Torres caem, mas não é a-toa que uma carta tão funesta (?) é representada por uma criação de mãos humanas; as criações caem… o criador permanece. E pode seguir em frente, se quiser.
Como diria Zerd Ziegler, em Tarot, Espelho da Alma: “Observe-se no dia-a-dia. As situações podem parecer repetir-se, mas você não continuará a repetir padrões de comportamento desgastados, limitados e repetidos.”
Abraços a todos.

6 comentários:

  1. amigo,

    tens prémios no meu blog, leva-os :p

    beijinhos e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  2. caramba! adorei a dica do filme! vou ver se acho pra assistir *depois de ver o trailer* parece muito bom!

    hmmm a torre é mesmo uma carta terrível =/...mas acho que só pq causa dor. O dom maior que ela traz é a liberdade =)

    ResponderExcluir
  3. É, a Torre não é fácil de lidar. =/
    Não somos preparados para perder. Não somos preparados para o desmoronar. Mas, já reparou que, passado algum tempo, parece-nos que até mesmo a dor foi necessária, como parte do processo?
    Grande beijo Salix!!!

    ResponderExcluir
  4. Já!....master!...tem vezes que eu até desejo que ela se manifeste mais vezes na minha vida...mas isso obviamente é uma falta de atitude da minha parte ._.

    Feliz Equinócio Vernal pra vc tb =)

    ResponderExcluir
  5. Sobre Berserk....conheço sim =)...eu acompanhei um pouco do mangá....vi assim por cima algumas partes do anime....mas achei muito....sanguinolento xD~ e aquela partes dos demônios lá...ou eram monstros ....que o Gatts perde o braço...nnss...o.o'...foda...mas não curti muito não =) ultimamente eu tenho assistido Cavaleiros xDD~~ mas assim...aqueles episódios de Lost Canvas...eu ia acompanhar a saga do Hades/Elíseos....mas como eu li o mangá e já sei o que vai acontecer...eu dei uma desanimada....mas o começo da saga de Hades eu assisti....chorei horrooooooooores xD *chora por tudo ¬¬ tá loco viu*

    ResponderExcluir
  6. Vim retribuir a visita no Infinto Particular, na hora do chá! Não conhecia esse filme, vou procurar alugar!

    Uma semana de paz!

    Bjs.

    ResponderExcluir

Quando um monólogo se torna diálogo...